sexta-feira, setembro 23, 2016

Schönes Wochenende!





Oft sind es nur Sekunden
Oft reicht schon ein kurzer Blick
Oft ist es nur ein Wort
Ein kurzer Gruß zurück
Vielleicht 'n Sonnenstrahl
Ein Licht in der Dunkelheit
Vielleicht 'ne Hand voll Zeit
Ein Tag allein oder 'ne Nacht zu zweit
Dann ist alles perfekt
Dann ist alles perfekt
Genauso wie es dann ist
Ist alles plötzlich perfekt
Plötzlich perfekt
Ein altes Lieblingslied
Die gleiche Vergangenheit
Ein bisschen Nostalgie
Bilder die du gerne teilst

Menschen die glauben
Leuchtende Augen
Jemand der dich vermisst
Und die Zeit wenn du bei mir bist
Vertraute Stille, wenn man Worte nicht braucht
Ein Gefühl wie Silvester im Bauch
Ja dann ist alles perfekt
Dann ist alles perfekt
Genauso wie es dann ist
Ist alles


segunda-feira, setembro 19, 2016

As 5 Feridas - Lise Bourbeau

Resultado de imagem para as 5 feridas

Resolvi ler porque de certa forma está correlacionado com os 5 Movimentos: Madeira, Fogo, Terra, Metal e Agua.

Na MTC o aspecto emocional é determinante na cura, a harmonia do Shen. Então, tudo o que sejam ferramentas que ajudem a identificar a causa fundamental das patologias, decifrar qual o Movimento ( ou Movimentos) em desarmonia, é sempre util.

Fiquei surpreendida pela positiva pois, o livro está bem organizado, sucinto e com informação interessante e que pode realmente se correlacionar com a MTC. E claro, identifiquei muita santa gente que conheço e agora percebo melhor os seus comportamentos:


Agua= Rejeição = Fugidio
Terra= Abandono = Dependente
Fogo= Traição = Controlador
Madeira = Humilhação = Masoquista
Metal= Injustiça = Rígido


Segundo a autora, as feridas estão correlacionados com aspetos mal resolvidos que se formam na infancia mas podem derivar de vidas passadas. Como energia atrai energia, atraimos os progenitores, e companheiros  que estão nessa mesma sintonia vibracional.
Ela identifica as caracteristicas comportamentais, fisicas e até quais as patologias frequentes de cada ferida. Identifica a mascara comportamental de cada uma delas. E mais importante, os passos para curar a ferida.

1º Passo - Ser capaz de identificar qual a ferida que é mais relevante em nós.
2º Passo - Ser capaz de desmobilizar conscientemente a mascara comportamental
3º Passo - Resolver a ferida latente

E obviamente, fiz a minha auto-analise para perceber qual a mascara que uso com mais frequência e até que mascaras se aplicaram em situações muito particulares. Foi um momento "Eureka!"

Mas , a propósito do ultimo passo, lembrei-me dum episódio em que uma das minhas amigas tinha feito um curso sobre a Sombra e queria conversar comigo.Havia uns aspectos que ela achava que tinham ficado mal resolvidos entre nós e queria um confronto. A verdade é que essa atitude não teve um efeito conciliador, pelo contrario. Achei extremamente invasivo e respondi-lhe , à moda de vulcão, que não tinha problemas com ela e não era confessionário.

Então, muita parcimónia, com o "resolver a ferida" ! :) Há vulcões a cada esquina!







Karaniya Metta Sutta



This is to be done by one skilled in aims
who wants to break through to the state of peace:
Be capable, upright, & straightforward,
easy to instruct, gentle, & not conceited,
content & easy to support,
with few duties, living lightly,
with peaceful faculties, masterful,
modest, & no greed for supporters.

Do not do the slightest thing
that the wise would later censure.

Think: Happy, at rest,
may all beings be happy at heart.
Whatever beings there may be,
weak or strong, without exception,
long, large,
middling, short,
subtle, blatant,
seen & unseen,
near & far,
born & seeking birth:
May all beings be happy at heart.

Let no one deceive another
or despise anyone anywhere,
or through anger or irritation
wish for another to suffer.

As a mother would risk her life
to protect her child, her only child,
even so should one cultivate a limitless heart
with regard to all beings.
With good will for the entire cosmos,
cultivate a limitless heart:
Above, below, & all around,
unobstructed, without enmity or hate.
Whether standing, walking,
sitting, or lying down,
as long as one is alert,
one should be resolved on this mindfulness.
This is called a sublime abiding
here & now.

Not taken with views,
but virtuous & consummate in vision,
having subdued desire for sensual pleasures,
one never again
will lie in the womb.

Back to School

Resultado de imagem para back to school

O inicio da escola dos miúdos é sempre uma tarefa importante para mim.

Tenho todo o empenho e carinho em preparar o material escolar, identificar tudo, verifico se os uniformes , fatos de treino e se as batas estão okay... Lancheiras, alimentos para os lanches, lenços de papel, toalhitas , agua... Todos os pormenores que os meus "kininhos" merecem. É um pouco assoberbante pois fico sempre a duvida se me lembrei de tudo...

A preparação dos lanches foi ontem à noite, e todo o material escolar à porta para operacionalizar a saida para a escola.

Foi um acordar tranquilo, e saímos cedo, para escapar ao transito matinal que agora ainda está pior por causa das estradas fechadas como consequência dos incêndios.

Estacionei, fui colocar o material na sala de aula do mais velho que se despediu apressadamente para ir brincar com os amigos.

Fui levar o mais novo à sala, conversei com a educadora, entreguei o material e arrumei a escova dos dentes no seu lugar, a mochila no cabide. Reparei que , apesar do meu "corre-corre" para ter as batas novas em casa antes do inicio do ano, o pai vestiu-lhe a bata velha cuja manga já está a três quartos... Respirei fundo, brinquei com a situação com a educadora e as outras mães que entretanto foram chegando...

Conversei com a professora do mais velho e desejei-lhe um bom ano letivo.

Ao chegar ao recreio, confirmei com o primogénito que ia ter dois coleguinhas novos. Ele apontou para duas crianças novas naquele espaço e reflectiu que deveriam ser os novos alunos.
Um estava junto ao pai, o outro estava com a auxiliar.
Aproximei-me e perguntei à auxiliar se o menino ia para o 3A. Ela respondeu que sim... Chamei o primogénito , perguntei o nome ao menino, e o primogénito apresentou-se prontamente. Já tínhamos conversado,durante a viagem, que era importante tratar bem os novos meninos pois precisavam de fazer amigos e de se adaptar a uma nova escola.
Perguntei ao menino se queria ir brincar com os novos colegas, ele respondeu que sim...e lá foram os dois se juntar ao outros , nas correrias...

E desci as escadas, a sentir-me bem, feliz por ter cumprido todas as tarefas que tinha para o retorno ao colégio, e ainda tinha feito a boa acção de incluir o menino novo (que estava sem a familia), em tempo recorde : 8:20 e tudo orientado. Bem a tempo de sair com calma e tomar um cafezito antes de começar a semana profissional

Mas,  coloco a chave na ignição e o carro começa a fazer um barulho esquisito. Arrancar, nada...
A chave presa na ignição, e o carro a estalar...
Toca a sair do carro e pedir ajuda ao senhor que todos os dias orienta o tráfego no colégio.
Entretanto, juntaram-se mais uns , que não percebiam muito de mecânica, mas palpites deram bastantes. Seria a bateria? Foram procurar cabos para a intervenção, espreitaram para dentro do capô porém, a conclusão foi sempre a mesma: este carro é eléctrico, é melhor não mexer!

Toca a telefonar ao hubby, que com mil suspiros e uma má disposição tremenda, ainda ia pensar a que mecânico iria ligar.

Uma mãe, na sua boa vontade, veio explicar-me que já tinha tido aquele problema com o carro dela, que era da chave e que a única solução era pedir o reboque. Nem valia a pena tirar a chave senão o prejuízo ia ser maior...

Ligo para o seguro a pedir o reboque, aviso os meus chefes que infelizmente iria atrasar-me, aviso o hubby, que entretanto decidiu trazer-me o yaris e acompanhar o reboque...
Avisei-o que da próxima vez ligo para o seguro, peço o reboque, peço o carro de substituição e não ligo para mais ninguém. A culpa não foi minha ( e mesmo que tivesse sido), não tinha de levar com a má disposição alheia. E continuei calma, não briguei, não me enervei, não esconjurei o carro, não culpei o céu e o inferno...
Esperei tranquilamente, no primeiro dia das minhas rotinas de motorista,  no meio do que seria o pior pesadelo para mim pois odeio chegar atrasada e odeio assuntos relacionados com carros.

Arrumei a tralha  dum carro para o outro, e , vira a pagina...

Nem sei o que diga...
Aqueles minutos intermináveis à espera do reboque ( o hubby chegou primeiro mesmo com o congestionamento por causa dum acidente na via expresso), a ver os pais a chegarem já depois das nove , e a saírem primeiro do que eu...

E fiquei a pensar : às vezes, por mais planeamento que se faça, o que tem de ser tem muita força...
Ironias da vida...

E assim começou o ano letivo...
Poderia ter sido pior...mas também poderia ter sido melhor...


P.S, Ainda sujei as calças com uma mistela do carro, para ficar com um ar de mecanica...

OMMMMMM SHANTI






terça-feira, setembro 13, 2016

@Coffe Break!


Ofereceram-me um sorriso :D

segunda-feira, setembro 12, 2016

quinta-feira, setembro 01, 2016